Entre o público jovem (homens e mulheres entre 12 e 19 anos), mais de 7,1 milhões (106,6%) nessa faixa etária se vacinaram desde agosto passado, mês em que a campanha foi iniciada. Porém, os homens a partir dos 20 anos não seguiram o mesmo exemplo. Até ontem (4 de dezembro), 89,8% foram aos postos de saúde pelo país – o que corresponde a 31,2 milhões da meta de 34,7 milhões.

O próximo passo é incentivar a população masculina a também se vacinar, de forma a atingir a cobertura ideal de imunização e eliminar a circulação do vírus da rubéola no país. Mais de 64,9 milhões (92,6%) de brasileiros já se vacinaram, mas ainda restam 1,9 milhão de pessoas para que o país alcance a meta de 95%.

A coordenadora do Programa Nacional de Imunizações do Ministério da Saúde, Marília Bulhões, orienta os que ainda não tomaram a vacina a comparecer o quanto antes ao posto de saúde mais próximo de sua residência, até o dia 12 de dezembro. A imunização contra a rubéola é a única forma de garantir a eliminação da doença no país.

Os homens são o principal foco da campanha porque, dos 8.684 casos de rubéola confirmados no país em 2007, 70% corresponderam a pacientes do sexo masculino. O maior risco é a transmissão do vírus para mulheres grávidas, o que pode causar malformação no feto, cegueira, surdez, retardo mental ou problemas cardíacos no bebê.