A aprovação anual do orçamento segue diretrizes estabelecidas pelo Conselho Federal de Farmácia (CFF), e é adequado às necessidades do CRF-SP pelas áreas técnicas do órgão, com base nos recursos disponíveis, arrecadações previstas e, principalmente, de acordo com as ações e metas estabelecidas pela diretoria.

Para 2010, a previsão é de continuar investindo fortemente nas ações de fiscalização, aquisição de patrimônio (imóveis e equipamentos) e, principalmente, nas ações que têm sido a marca do CRF-SP nos últimos quatro anos: a valorização do farmacêutico.

Essas ações se fazem com capacitações (hoje o CRF-SP disponibiliza uma série de treinamentos totalmente gratuitos), e com muita informação (portal do CRF-SP, Revista do Farmacêutico, Canal Farmacêutico e outros). A valorização do farmacêutico se dá com a constante divulgação do seu trabalho também para a sociedade, e o CRF-SP tem atuado no constante monitoramento dos assuntos relativos a sua área de atuação na mídia e nas esferas política e regulatória.

A política do CRF-SP tem sido austera na questão da gestão dos custos, mas muito ousada nos investimentos feitos na categoria”, reitera a presidente do órgão, dra. Raquel Rizzi.

Nos últimos quatro anos, o CRF-SP aumentou muito, tanto em tamanho físico (mais seccionais e subsedes, mais fiscais, mais veículos para a fiscalização, mais equipamentos de informática, mais técnicos e funcionários que dão suporte às ações).

 Aplicação de recursos em 2009

 Este ano, boa parte dos recursos foi aplicada em ações voltadas para a atualização do farmacêutico, na produção e distribuição da Revista do Farmacêutico e de outros materiais gráficos, que oferecem informações técnicas, legais e éticas para auxiliar o farmacêutico no desenvolvimento de suas atividades diárias, nas campanhas de educação em saúde e nas ações que destacam a importância do papel deste profissional da saúde para a sociedade, como a participação em diversos eventos e discussões na área da saúde, por exemplo.

 Também são necessários recursos para custear as atividades realizadas pelos fiscais (a atividade principal do CRF-SP é a fiscalização do exercício profissional do farmacêutico em todas as suas áreas de atuação, para garantir o direito da população de ser atendida por um profissional capacitado a orientá-la sobre o uso correto de medicamentos, e serviços de excelência nas demais áreas, exigindo que as empresas farmacêuticas mantenham o profissional em seu quadro de funcionário, conforme determinado por lei).

 É fundamental que o farmacêutico entenda que, somente com uma fiscalização efetiva e uniforme, garante-se que a lei seja cumprida e que os estabelecimentos mantenham este profissional durante o horário de funcionamento do estabelecimento (como no caso das farmácias).

 Ou seja: se o CRF-SP não cumprisse o seu papel fundamental e não fiscalizasse, boa parte dos farmacêuticos não teria atuação em drogarias. Assim, com o CRF-SP forte e promovendo uma fiscalização intensa, sistemática e uniforme, tem-se garantido o emprego de muitos colegas.

 Os orçamentos do CRF também preveem os “recursos patrimoniais”, que incluem a aplicação de recursos para manutenção e compra de softwares, equipamentos e sistemas de informática; além da locação e  compra de imóveis. Em 2009, essa verba foi utilizada, entre outras benfeitorias, para propiciar mais agilidade e conforto no atendimento nas Seccionais de Franca, Guarulhos e Presidente Prudente.

 Confira a seguir a proporção com que são utilizados os recursos pelo orçamento do CRF-SP:

 

 

Aplicação de recursos do CRF-SPAplicação de recursos do CRF-SP