O documento informa que o uso do Tarcera® pode aumentar os riscos de desenvolvimento de perfurações gastrintestinais, além de causar a formação de bolhas, vesículas e esfoliações na pele. Também foram relatados casos raros (menos de 1 por 10.000 pacientes) de perfuração ou ulceração de córnea.

O documento da Roche também informa que o laboratório “está providenciando a atualização da bula junto à Anvisa para refletir adequadamente estas informações”. A carta também enfatiza que os benefícios obtidos no tratamento com o Tarcera® “continuam excedendo os riscos potenciais”.

Ocorrências de reações adversas em pacientes que utilizam o Tarcera® (erlotinibe) podem ser encaminhadas à área de farmacovigilância da Roche pelo telefone 0800-7720292 (ligação gratuita), pelo e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo., ou pelo fax (011) 3719-4882.

Desvios de qualidades, reações adversas e qualquer problema relacionado a medicamentos, notifique ao farmacêutico que faça parte do Programa Farmácias Notificadoras, ou faça a notificação diretamente no Centro de Vigilância Sanitária (CVS), ou entre em contato com a Anvisa.