A iniciativa inédita do CRF-SP de capacitar os profissionais para que apliquem a RDC 44/09 e as instruções normativas 9 e 10 foi destaque no sábado, 7 de novembro, na capital. O evento começou com a mesa de abertura composta pelos deputados federais, Arlindo Chinaglia e Ivan Valente, o presidente da Anvisa, dr. Dirceu Raposo de Mello e a presidente do CRF-SP, dra. Raquel Rizzi.

O deputado Chinaglia ressaltou que o projeto de lei que cria o Dia Nacional de Assistência Farmacêutica já foi aprovado na Câmara e caminha agora para o Senado. Além disso, a outra proposta é de criação do Dia Nacional da Vigilância Sanitária.

Para o deputado Ivan Valente, autor do substitutivo ao PL 4385/94, que está na Câmara por mais de sete anos, é preciso que a categoria se mobilize ainda mais para pressionar a aprovação do projeto que transforma definitivamente a farmácia em estabelecimento de saúde. “Temos aprovação do Ministério da Saúde e de mais de 200 entidades do setor. Temos que votar esse projeto em 2010, de qualquer maneira. É um direito da população”, ressaltou.

 

 

Na mesa de abertura, os deputados Ivan Valente e Arlindo Chinaglia; o diretor-presidente da Anvisa, dr. Dirceu Raposo de Mello; e a presidente do CRF-SP, dra. Raquel RizziNa mesa de abertura, os deputados Ivan Valente e Arlindo Chinaglia; o diretor-presidente da Anvisa, dr. Dirceu Raposo de Mello; e a presidente do CRF-SP, dra. Raquel Rizzi

 

 

 

Dra. Raquel Rizzi abriu as palestras com a apresentação de todo trabalho do CRF-SP durante os últimos anos, além das vitórias judiciais obtidas em favor da assistência farmacêutica. “Somos os profissionais do medicamento e atuamos sempre em benefício do paciente”. Dr. Dirceu Raposo mostrou aos participantes como a RDC 44/09 foi construída, após receber mais de 5 mil sugestões durante o período de consulta pública. “A RDC inovou no sentido das pessoas não precisarem mais medir pressão, taxa de glicose em casa, sem nenhum acompanhamento. A farmácia é o ambiente adequado e o farmacêutico o profissional habilitado para atender o paciente”.

A aplicação efetiva da RDC 44/09 no dia-a-dia das farmácias foi abordado pelo dr. Adriano Falvo, palestrante do CRF-SP. O farmacêutico mostrou exemplos e situações como a prestação de serviços, tirou uma série de dúvidas sobre quais produtos  são permitidos para venda e sobre quais devem ficar fora do acesso ao usuário. “O que fideliza o cliente é a orientação e o cuidado, e não o desconto”, destacou dr. Adriano.

A mesa de encerramento foi mediada pelo dr. Pedro Menegasso, diretor-tesoureiro do CRF-SP e, além dos palestrantes, contou também com a participação do dr. Sálvio di Girólamo, presidente da Abimip, dr. Marcus Elídius Michelli, consultor jurídico do CRF-SP e dr. Laércio Batista, que apresentou o exemplo de prestação de serviços em sua drogaria em Santa Catarina. “Minha farmácia está cercada por grandes redes na minha farmácia e se não fosse a prestação de serviços e a credibilidade que isso agrega, já teria fechado”, ressaltou dr. Laércio.

 

 

Da esq. para a dir.: dr. Dirceu Raposo de Mello; dr. Adriano Falvo; dr. Pedro Menegasso; dr. Marcus Elídius; dr. Sálvio Di Girólamo; e o dr. Laércio BatistaDa esq. para a dir.: dr. Dirceu Raposo de Mello; dr. Adriano Falvo; dr. Pedro Menegasso; dr. Marcus Elídius; dr. Sálvio Di Girólamo; e o dr. Laércio Batista

 

 

 

O seminário contou ainda com a participação da dra. Margarete Kishi, secretária-geral, diretores e vice-diretores regionais, membros de comissões assessoras e de ética.

Os participantes encaminharam uma série de questionamentos para os palestrantes. Clique neste link para conferir as respostas.