O evento em Marília integra o ciclo de palestras do IX Encontro Paulista de Farmacêuticos, que desde o dia 12 de janeiro percorre o Estado de São Paulo com o intuito de chamar a atenção sobre as possíveis complicações que o uso incorreto desses medicamentos pode causar.

A palestra de ontem foi acompanhada por mais de 70 pessoas, entre profissionais e estudantes de Farmácia. Contou também com a participação do conselheiro do Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (Cremesp), o dr. Alfredo Rafael Dell´Aringa.

Atualmente, medicamentos como analgésicos, antiácidos e antitérmicos são vendidos sem qualquer restrição nas farmácias e drogarias, o que contribui para que o consumidor deixe de receber orientações do farmacêutico. Mas eles podem ser prejudiciais à saúde, podendo mascarar os sintomas de doenças graves, anular a ação de outros medicamentos e até provocar sangramentos e intoxicações.

O anúncio do dr. Dirceu Raposo endossa a campanha do CRF-SP, na avaliação da presidente da entidade, a dra. Raquel Rizzi. "A decisão da Anvisa vem de encontro ao que o CRF-SP defende, ou seja, a dispensação de medicamentos com responsabilidade e a prestação de serviços pelo farmacêutico enquanto profissional da saúde", declarou a dra. Raquel.

Em seu discurso, o dr. Dirceu Raposo de Mello falou sobre a necessidade de reforçar a imagem da farmácia como estabelecimento de saúde, e não como um ponto comercial. “Embora as farmácias sejam estabelecimentos particulares, elas precisam referência em prestação de serviços, e não confundidas com lojas”, afirmou o presidente da Anvisa.

Também na noite de ontem, o dr. Dirceu de Mello participou de sessão ordinária na Câmara Municipal de Marília, onde apresentou um balanço sobre as ações promovidas pela Anvisa, e deu detalhes sobre a Consulta Pública aberta atualmente para discutir propostas de melhoria para bulas de medicamentos (clique aqui para mais informações).