Palestra esclarece farmacêuticos sobre procedimentos da recente RDC 301/19

 

Farmacêuticos que atuam na Indústria participaram de mais uma palestra na sede do CRF-SPFarmacêuticos que atuam na Indústria participaram de mais uma palestra na sede do CRF-SP

 

São Paulo, 6 de novembro de 2019.

Com o plenário repleto de farmacêuticos, o CRF-SP promoveu na terça-feira, 5, mais uma palestra organizada pelas comissões assessoras. Dessa vez, a Comissão Assessora de Indústria destacou o tema “Estatística básica aplicada à RPP - Revisão Periódica de Produtos”. O tema foi apresentado pela Dra. Sueli Ogata, membro da Comissão e consultora nas áreas de sistema de qualidade, validações e Boas Práticas de Fabricação.

A RPP é uma ferramenta o objetivo de verificar a consistência do processo de produção de insumos farmacêuticos e determinar se há necessidade de efetuar melhorias. Diante das novas diretrizes da recente RDC 301/19, que trata sobre Boas Práticas de Fabricação de Medicamentos, Dra. Sueli mostrou aos participantes a importância da Revisão Periódica de Produtos para avaliação do desempenho do sistema de qualidade. “Temos um novo conceito dentro do sistema de qualidade em relação à validação dos processos e, por isso, precisamos implementar o conceito de ciclo de vida desses processos”.

Dra. Sueli Ogata ministrou a palestra aos farmacêuticos Dra. Sueli Ogata ministrou a palestra aos farmacêuticos

Dra. Sueli ressaltou que muitas empresas já realizam essa nova etapa definida pela RPP que é a verificação continuada. “É preciso coletar dados de um determinado período. Isso vai acontecer continuamente no processo de validação para demonstrar que o processo continua no estado validado. A RPP é uma forma de fazer isso, mas agora vamos dar mais ênfase no processo estatístico porque através dos gráficos e do tratamento dos dados que vamos demonstrar que o processo está sob controle”.

Segundo a ministrante, trabalhar com estatística é uma dificuldade para o farmacêutico, então a palestra foi importante para passar conceitos básicos em uma linguagem farmacêutica, além de direcionar as principais ferramentas que são importantes para demonstrar o estado validado dos processos. “O farmacêutico na indústria, pela amplitude da atuação que tem, consegue acumular conhecimentos de diferentes áreas para conseguir interpretar os dados de uma RPP. Não adianta fazer um tratamento estatístico se não conseguir fazer uma conexão entre esses dados e o que significam em relação aos processos”, finaliza.

Dr. Edson Rollenberg, coordenador da Comissão Assessora de Indústria do CRF-SPDr. Edson Rollenberg, coordenador da Comissão Assessora de Indústria do CRF-SP

Os farmacêuticos interessados em participar das reuniões da Comissão Assessora de Indústria devem entrar em contato pelo e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo..

 

Thais Noronha

Departamento de Comunicação CRF-SP

CLIQUE AQUI PARA CONSULTAR OUTRAS NOTÍCIAS