CRF-SP participa do Congresso Multidisciplinar em Diabetes

 

Público presente na abertura do Congresso Público presente na abertura do Congresso

São Paulo, 29 de julho de 2019.

Por mais um ano, o CRF-SP participou do Congresso Brasileiro Multidisciplinar em Diabetes, organizado pela Associação Nacional de Atenção ao Diabetes, Anad, na Unip Vergueiro, na capital. A 24ª edição do evento contou com o Simpósio “O farmacêutico e o Diabetes Mellitus” e com as palestras “Oportunidades, tendências e perspectivas de exames em farmácias” e “Interferência de medicamentos em exames laboratoriais”.

Durante a abertura, que reuniu profissionais de diversas áreas da saúde, Dr. Fadlo Fraige Filho, presidente da Anad destacou a importância da multidisciplinaridade em relação ao diabetes. “Tive essa visão há 26 anos porque o diabetes não é do consultório do médico, é uma doença universal e a cooperação dos profissionais que estão no dia a dia. Entendo a farmácia como um estabelecimento de saúde, é muitas vezes o primeiro contato com o paciente, fundamental orientação adequada, o encaminhamento, o apoio no uso de glicosímetros e seringas, a farmácia desempenha um papel importantíssimo nessa cadeia de profissionais”. A abertura também contou com a Dra.Eliete Bachrany, integrante do GT de Diabetes do Conselho Federal de Farmácia.  

O presidente da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, Anvisa, Dr. William também enfatizou a importância do farmacêutico. “Quando você cuida de uma doença tão multicêntrica como o diabetes, é importante a participação de vários profissionais. O diabetes não é só do endocrinologista, do clínico, ou do cardiologista, é do fisioterapeuta, do enfermeiro, do podólogo. O farmacêutico orienta sobre a posologia, a importância da manutenção da medicação, do abandono precoce do tratamento, é uma participação fundamental na cultura de uma doença crônica com poucos sintomas em que o paciente vê outras prioridades na sua vida do que o próprio tratamento”.

Durante o Congresso, o papel do farmacêutico foi destacado também na esfera pública com a participação da Dra. Ediane Bastos, farmacêutica, diretora substituta do Departamento de Assistência Farmacêutica e Insumos Estratégicos do Ministério da Saúde em um simpósio sobre políticas públicas em saúde. “Foi um debate muito rico em que conseguimos deixar claro, o que é consenso, de que é muito importante a participação da equipe multiprofissional no manejo do paciente com diabetes, uma doença que a disponibilização do medicamento por si só não resolve a situação do paciente. São importantes ações de prevenção e promoção à saúde e também de acompanhamento do paciente que tem a doença desenvolvida, nesse sentido o farmacêutico tem papel preponderante no cuidado com o paciente, é o profissional que está dispensando o medicamento e tendo a oportunidade de atuar na atenção farmacêutica, fazendo o acompanhamento e monitoramento”.

 

Simpósio O Farmacêutico e o Diabetes Mellitus

No domingo (28), o CRF-SP realizou, dentro da programação do 24º Congresso Brasileiro Multidisciplinar em Diabetes, o Simpósio “O Farmacêutico e o Diabetes Mellitus”, também no campus da Unip Vergueiro. A exemplo das edições anteriores do evento, a participação do CRF-SP em um congresso multidisciplinar como o da Anad é fundamental para demonstrar as atividades que podem ser desenvolvidas pelo farmacêutico, e as formas como este profissional pode contribuir no acompanhamento de pacientes com diabetes.

Uma das apresentações abordou as oportunidades, tendências e perspectivas de exames laboratoriais, com foco nos serviços que o farmacêutico pode oferecer nas farmácias de acordo com a legislação vigente, dentre as quais a RDC 44/2009 e RDC 302/2005, ambas com possibilidade de passarem por revisão por parte da Anvisa ainda este ano, já que em nesta quinta-feira (1º) a Agência realizará, em Brasília, um diálogo setorial sobre essas duas normativas.

O simpósio também promoveu a palestra “Interferências de medicamentos em exames laboratoriais” apresentada pelo Dr. Ronaldo Campanher, farmacêutico ministrante de cursos e delegado regional da Seccional de São João da Boa Vista do CRF-SP. O simpósio contou com a participação do também ministrante de cursos do Conselho Dr. Sandro Jorge Januário, membro da Comissão Assessora de Análises Clínicas e Toxicológicas do CRF-SP.

Dr. Ronaldo Campanher, farmacêutico ministrante de cursos e delegado regional da Seccional de São João da Boa Vista do CRF-SP e Dr. Sandro Jorge Januário, membro da Comissão Assessora de Análises Clínicas e Toxicológicas do CRF-SP Dr. Ronaldo Campanher, farmacêutico ministrante de cursos e delegado regional da Seccional de São João da Boa Vista do CRF-SP e Dr. Sandro Jorge Januário, membro da Comissão Assessora de Análises Clínicas e Toxicológicas do CRF-SP

Segundo o Dr. Ronaldo, estima-se que 70% das condutas médicas se baseiam em exames laboratoriais que podem sofrer influências pré-analíticas, analíticas e pós-analíticas.
Jejum, uso de álcool, prática de atividades físicas, situações de estresse e medicamentos de modo geral devem ser relatados em laudo para o analista clínico. Dentre as classes de medicamentos mais suscetíveis a interferências nos exames estão os corticoides, anticoncepcionais, ácido ascórbico (antioxidantes), antifúngicos (enzimas hepáticas e coagulação) e urinálise (medicamentos que alteram coloração da urina e leitura da fita).

“Trata-se de uma questão complexa e que demanda muito compromisso de toda a equipe multidisciplinar com o paciente, lembrando que cada um é individual e que ninguém deve analisar ou interpretar o exame laboratorial baseado apenas em números. Todos os pacientes têm a sua particularidade e cabe a nós, profissionais da saúde, lembrarmos sempre disso”, afirmou o Dr. Ronaldo Campanher.


Renata Gonçalez e Thais Noronha

Departamento de Comunicação CRF-SP

CLIQUE AQUI PARA CONSULTAR OUTRAS NOTÍCIAS