Moções repudiam graduação a distância

São Paulo, 19 de junho de 2019

Vereadores dos municípios de Américo Brasiliense, Assis e Quintana, interior do Estado de São Paulo, votaram contra o ensino à distância nos cursos de graduação na área da saúde em moções de repúdio à modalidade na área. 

Em Américo Brasiliense, os autores da moção foram os vereadores Leandro Henrique Moralles (Mancha) e Joaquim Aparecido Nunes (Cidão), que foi aprovada no dia 6 de junho de 2019 pelos vereadores da câmara da cidade.

No município de Assis, a propositura foi do vereador Vinicius Guilherme Simili que defende o ensino presencial para graduação na área da saúde. “Acredito que esse tipo de ensino (à distância) trará uma baixa qualidade na formação, considerando que um dos requisitos principais para uma boa formação acadêmica na área da saúde é justamente o contato direto com as pessoas. Ou seja, a sociedade correrá um sério risco, na medida em que o profissional não teve contato com o paciente ao longo da graduação”, explica.

Já a vereadora Sandra Regina Ferreira, uma das autoras do requerimento em Quintana disse que apresentou a moção, que foi aprovada por unanimidade pela Câmara Municipal, em 21 de maio, porque entende que os vereadores da cidade não poderiam deixar de se manifestar contra o EAD na área da saúde. “Entendo que no ensino da área de saúde o aulo deve estar presente em aulas presenciais para um melhor aprendizado e ter contato com o paciente”, considerou.

 

CONFIRA A MOÇÃO DE AMÉRICO BRASILIENSE

CONFIRA A MOÇÃO DE ASSIS

CONFIRA A MOÇÃO DE QUINTANA

 

Departamento de Comunicação CRF-SP

CLIQUE AQUI PARA CONSULTAR OUTRAS NOTÍCIAS