A faixa etária entre 11 e 14 anos é a que apresenta menor cobertura da vacina, com apenas 59% de adesão, seguida pela de 15 e 19 anos, que totaliza 64% dos imunizados. A cobertura ideal é de 90% a 95%.

Segundo a Secretaria da Saúde, muitos jovens já tomaram as duas primeiras doses da vacina (que devem ser aplicadas com um intervalor de um mês, entre uma e outra), mas ainda não completaram as três doses preconizadas, e portanto não estão completamente imunizados. Vale lembrar que a terceira e última dose tem de ser aplicada seis meses após a segunda.

A vacina é gratuita e pode ser encontrada em qualquer posto de saúde. O alvo da campanha são pessoas com até 19 anos. Entre os adultos, a imunização contra a hepatite B se restringe aos chamados grupos de risco, entre os quais profissionais da saúde, homossexuais e usuários de drogas injetáveis.

Cerca de 90% das pessoas que se infectam com o vírus da hepatite B não se tornam portadores da doença. Entre os que ficam doentes, 20% poderão desenvolver cirrose e câncer hepático. Quando a transmissão ocorre durante o parto ou na amamentação, até 90% das crianças se tornam portadoras. Estima-se que no Brasil existam aproximadamente 2 milhões de pessoas infectadas com o vírus da hepatite B.