Cidades aprovam moções contra ensino EaD na saúde e medicamentos em supermercados

Vereador Fábio Ferraz de Campos (centro)Vereador Fábio Ferraz de Campos (centro)São Paulo, 13 de dezembro de 2018.

Mais duas cidades aderiram às principais mobilizações da classe farmacêutica com a recente aprovação na Câmara Municipal das moções de protesto contra a oferta dos cursos de graduação na modalidade a distância na área da saúde e contra a venda de medicamentos em supermercados.

Em Barretos, a moção aprovada por unanimidade foi apresentada pelo vereador Carlão do Basquete contra a venda de medicamentos isentos de prescrição em supermercados e estabelecimentos similares.

O vereador considerou importante seu município se manifestar contra a venda de medicamentos em supermercados e propôs o requerimento, que foi bem acolhido por ser colegas parlamentares. “A gente sabe que a automedicação pode causar problemas sérios de saúde, isso é muito preocupante. Portanto é importante que a gente se manifeste contra esse risco”, disse o vereador.

Já em Águas da Prata, a moção de repúdio foi apresentada contra à autorização dos cursos de graduação na área de saúde na modalidade de ensino a distância (EaD) pelos prejuízos que podem oferecer à qualidade da formação dos profissionais, bem como pelos riscos que estes profissionais podem causar à sociedade.

O vereador Fábio Ferraz de Campos, que também é presidente da casa, disse que vinha acompanhando os debates nas Câmaras dos municípios da região e achou importante sua cidade também se posicionar sobre o tema. “Considero que os cursos para a área de saúde precisam ter critérios mínimos para formar bons profissionais, e que pelo menos parte do curso seja realizado em laboratórios adequados e não totalmente a distância”, afirmou.

Clique aqui e leia o requerimento da moção de Barretos

Clique aqui e leia a moção de repúdio da Águas da Prata


Carlos Nascimento
Departamento de Comunicação CRF-SP

 

CLIQUE AQUI PARA CONSULTAR OUTRAS NOTÍCIAS