Um total de 27.888 votos (presenciais e por correspondência) foram recebidos na 44ª Eleições do CRF-SPUm total de 27.888 votos (presenciais e por correspondência) foram recebidos na 44ª Eleições do CRF-SPConcluída a apuração dos votos, diretoria do CRF-SP é reeleita para o mandato 2010/2011 com 80% de aprovação

 

A atual diretoria do CRF-SP foi reeleita para o mandato 2010/2011, após apuração dos 27.888 votos recebidos durante as Eleições 2009. O resultado indicou que a Chapa 1, formada pela presidente dra. Raquel Rizzi, o vice-presidente dr. Marcelo Polacow Bisson, pela secretária-geral dra. Margarete Akemi Kishi, e pelo diretor-tesoureiro dr. Pedro Eduardo Menegasso, recebeu 79,98% dos votos válidos.

As eleições para a escolha da diretoria e conselheiros do CRF-SP aconteceram nesta sexta-feira, 13 de novembro, na Sede, Subsedes e nas 23 Seccionais em todo o Estado.

Em média, o farmacêutico levou de cinco a 10 minutos para escolher seus candidatos, com exceção da Subsede Leste, onde houve uma demora excessiva por conta de regras do condomínio onde a Subsede está alocada.

Por medidas de segurança, o condomínio restringiu a subida de visitantes, o que causou atraso em todo o processo de votação. Apesar da demora, todos os farmacêuticos que se dirigiram para a Subsede Leste conseguiram votar.

O CRF-SP alerta que neste sábado, 14 de novembro, não haverá atendimento na Sede, Subsedes e Seccionais.

Dispensação remota de medicamentos têm sido motivo de dúvidas de farmacêuticosDispensação remota de medicamentos têm sido motivo de dúvidas de farmacêuticosÉ vedada a compra e venda de medicamentos da Portaria nº 344/98 através de meios de comunicação
 

O CRF-SP tem recebido uma série de questionamentos sobre a possibilidade de dispensação de medicamentos regulamentados pela Portaria nº344/98, solicitados através de meios de comunicação (solicitação remota).

Mesa-redonda composta pela dra. Josélia Frade; o Prof. Dr. Jorge Mancini Filho; a dra. Raquel Rizzi; e o dr; José Ferreira MarcosMesa-redonda composta pela dra. Josélia Frade; o Prof. Dr. Jorge Mancini Filho; a dra. Raquel Rizzi; e o dr; José Ferreira Marcos

 

A presidente do CRF-SP, dra. Raquel Rizzi, participou na manhã de quarta-feira (11 de novembro) da mesa-redonda intitulada “Panorama Atual da Atenção Farmacêutica no Brasil”, como parte da programação da II Semana de Atenção Farmacêutica do Hospital das Clínicas (HC) da Faculdade de Medicina da USP, evento que acontece até o dia 13 de novembro, no Centro de Convenções Rebouças, na capital.

 

Apesar da Abrafarma defender a venda de qualquer produto nas farmácias e drogarias, o CRF-SP defende que esses estabelecimentos devem vender saúde e orientação e não picanha, ração para animais e bebida alcoólica. Fiscalização do CRF-SP comprou medicamento e vodca na mesma drogaria em São Paulo.

 

Produtos encontrados por fiscais do CRF-SP em drogarias do Estado de São PauloProdutos encontrados por fiscais do CRF-SP em drogarias do Estado de São Paulo Produtos encontrados por fiscais do CRF-SP em drogarias do Estado de São PauloProdutos encontrados por fiscais do CRF-SP em drogarias do Estado de São Paulo

 

 

Da esq. para a dir.: a diretora regional de Jundiaí, dra. Miriam Spagnuolo; a deputada dra. Vanessa Grazziotin; dra. Margarete Kishi; e o coordenador da Comissão Assessora de Saúde Pública, dr. Israel MurakamiDa esq. para a dir.: a diretora regional de Jundiaí, dra. Miriam Spagnuolo; a deputada dra. Vanessa Grazziotin; dra. Margarete Kishi; e o coordenador da Comissão Assessora de Saúde Pública, dr. Israel MurakamiAutoridades, professores do curso de Farmácia, representantes da área de Saúde Pública estiveram ao lado da deputada Vanessa Grazziotin em evento sediado em Jundiaí

 

 

O Centro Universitário Padre Anchieta (UniAnchieta) e o deputado estadual Pedro Bigardi (PCdoB-SP) foram os organizadores do evento “Palestra sobre Presença de Farmacêuticos nas Unidades do SUS”, que contou com a participação da deputada federal e farmacêutica dra. Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM), autora do Projeto de Lei nº 3.752/08, que dispõe sobre a obrigatoriedade da presença do farmacêutico em UBS.

Projeto de lei de autoria do deputado federal Ivan Valente reforça a farmácia como estabelecimento de saúdeProjeto de lei de autoria do deputado federal Ivan Valente reforça a farmácia como estabelecimento de saúde

Farmácia Estabelecimento de Saúde vai à votação


O substitutivo ao PL 4385/94, de autoria do deputado federal Ivan Valente (PSOL/SP), retornou à pauta de votação na Câmara dos Deputados. A proposição segue como prioridade e poderá ser apreciada ainda nesta quinta-feira, 5 de novembro.

 

 

Diretoria do CRF-SP manifesta seu repúdio mediante tentativa da Abrafarma de barrar parte das medidas previstas na RDC 44/09 e Instruções Normativas 9 e 10

 

 

 O CRF-SP torna público seu posicionamento contrário à tentativa da Associação Brasileira das Redes de Farmácias e Drogarias (Abrafarma) de suspender parte das exigências e obrigações determinadas na RDC 44/09 e Instruções Normativas 9 e 10, previstas para entrar em vigor em fevereiro de 2010. Este Conselho reitera que sempre se posicionará à frente da defesa da farmácia como um estabelecimento de saúde. 

Estudo avaliou o uso de antibióticos em mais de 13 mil mulheres grávidasEstudo avaliou o uso de antibióticos em mais de 13 mil mulheres grávidasO uso de algumas classes de antibióticos no tratamento de infecções urinárias durante os três primeiros meses de gravidez pode aumentar o risco de o bebê nascer com má-formações, diz estudo publicado na revista "Archives of Pediatrics and Adolescent Medicine".

 

De autoria do deputado estadual Cássio Navarro, o Projeto de Lei 948/09 ainda tem de ser sancionado pelo governador José SerraDe autoria do deputado estadual Cássio Navarro, o Projeto de Lei 948/09 ainda tem de ser sancionado pelo governador José SerraFoi aprovado, no dia 27 de outubro, pelas Comissões de Constituição e Justiça e de Economia e Planejamento da Assembleia Legislativa de São Paulo, o Projeto de Lei 948/09, que determina que farmácias e drogarias estabeleçam, entre si, um sistema de plantão de funcionamento de forma a prestar atendimento ininterrupto à população.

 

Dispensação do medicamento deverá ocorrer mediante retenção de receitaDispensação do medicamento deverá ocorrer mediante retenção de receitaO governo brasileiro já estuda a liberação da venda do antiviral Tamiflu® (fosfato de oseltamivir) em farmácias e drogarias, medida que entraria em vigor a partir do ano que vem.

Para tanto, a Anvisa recebeu a incumbência de rever a política de controle do medicamento para torná-la mais rígida. O medicamento é indicado para o tratamento dos casos de gripe A (H1N1).

 

Conquistas obtidas pela área da Farmácia nos últimos anos foram apresentadas pelo dr. Pedro Menegasso, diretor-tesoureiro do CRF-SPConquistas obtidas pela área da Farmácia nos últimos anos foram apresentadas pelo dr. Pedro Menegasso, diretor-tesoureiro do CRF-SP

 

 

Dr. Pedro Menegasso, diretor-tesoureiro do CRF-SP, foi convidado pela Associação Nacional de Farmacêuticos Magistrais (Anfarmag), para proferir a palestra “Implantação da RDC 44/09: Aspectos Éticos e Legais”.

 

O evento foi realizado pela entidade no último sábado, dia 24 de outubro, em São Paulo (SP).

Clique na imagem para mais informaçõesClique na imagem para mais informações

Contagem de votos por sistema de leitura ótica é novidade deste ano

 

 

No dia 13 de novembro de 2009 será realizada a 44ª Eleição do Conselho Regional de Farmácia do Estado de São Paulo.

 Neste ano, a contagem de votos será feita pelo sistema de leitura óptica. Para tanto, o modelo de cédula também foi alterado (confira na imagem abaixo a forma correta de preenchimento). Isso garantirá mais agilidade ao processo e à divulgação do resultado.

O Plenário da Câmara dos Deputados aprovou na quarta-feira, 21 de outubro, o Projeto de Lei 7703/06 (PL do Ato Médico), originário do Senado. A matéria define as atividades privativas de médico e as que podem ser realizadas por outros profissionais da área de saúde. Como foi alterado, na Câmara, o Projeto retorna ao Senado.

 

O texto aprovado mantém o direito de os farmacêuticos citologistas realizarem os exames e laudos citopatológicos. O PL foi aprovado na forma do substituto da Comissão de Trabalho, de Administração e Serviço Público e com as emenda da Comissão de Seguridade Social e Família.

Capa do Fascículo 1 - Farmácia Estabelecimento de SaúdeCapa do Fascículo 1 - Farmácia Estabelecimento de SaúdeAlguns farmacêuticos têm questionado o CRF-SP a respeito do fascículo I da publicação “Farmácia Estabelecimento de Saúde, que destaca, na página 19, alguns serviços farmacêuticos ideais para serem prestados em farmácias e drogarias.

 

No entanto, a RDC 44/09, de 17 de agosto, não contemplou um dos tópicos da publicação do CRF-SP, que trata sobre a realização de pequenos curativos, o que tem causado dúvida sobre a possibilidade de oferecer esse serviço nos estabelecimentos.

Reunião Plenária realizada no dia 19 de outubroReunião Plenária realizada no dia 19 de outubro

 

Na Reunião Plenária ocorrida na segunda-feira, 19 de outubro, os conselheiros presentes (dr. Álvaro Fávaro Jr.; dra. Laise Ponce Leon Simões; dra. Maria Luiza Rodrigues; dr. Paulo Pais dos Santos; dra. Priscila Nogueira Camacho Dejuste; dr. Rodinei Vieira Veloso; dr. Rogério Guimarães Frota Cordeiro e dra. Rosângela Borges Reina), além da diretoria, aprovaram de forma unânime a proposta orçamentária do CRF-SP para 2010.

Nota técnica do CRF-SP tem por objetivo a defesa do âmbitoNota técnica do CRF-SP tem por objetivo a defesa do âmbitoSubstitutivo ao Projeto de Lei sobre fracionamento pode impedir farmacêutico de manipular medicamentos na mesma concentração dos industrializados

 

Mais uma vez o setor magistral sofre com interferências que podem prejudicar o segmento, impedir a assistência farmacêutica e principalmente o direito do consumidor de ter acesso a um tratamento de acordo com as suas necessidades. O deputado Arnaldo Faria de Sá (PTB-SP) apresentou o substitutivo ao Projeto de Lei 7.029/06 sobre fracionamento de medicamentos, em que o item mais restritivo proíbe a manipulação de princípios ativos quando houver a especialidade farmacêutica industrializada.