A celebração dos dez anos de medicamentos genéricos, realizada segunda-feira dia 25 no Hotel Grand Hyatt, foi palco de uma grande avaliação do setor, feita por políticos e autoridades.  “A combinação de qualidade, confiabilidade e preço, fizeram dos genéricos uma opção importante para o consumidor. Isso explica o vigor do segmento”, afirmou Odnir Finotti, presidente da Associação Brasileira das Indústrias de Medicamentos Genéricos (Pró Genéricos), em palestra que apresentou o mais recente balanço de desempenho do segmento (veja estatísticas abaixo).

Uma das principais conclusões de Finotti foi a de que os genéricos desempenharam papel fundamental para reascender a produção da indústria nacional de medicamentos, já que hoje 90% dos produtos são feitos no país.

Presente no evento, o então deputado e hoje secretario municipal do Verde e Meio-Ambiente, Eduardo Jorge, autor do projeto que propôs a implantação dos genéricos no país, transformado na Lei 9787/99, ressaltou que as experiências na periferia e a falta de condições de acesso ao medicamento foram fundamentais para a proposição dos genéricos. “Contei com o auxílio de muitos farmacêuticos que me asseguraram sobre os benefícios dos genéricos, alertando inclusive para uma recomendação da Organização Mundial de Saúde”.

 

O secretário municipal do Meio Ambiente, Eduardo JorgeO secretário municipal do Meio Ambiente, Eduardo Jorge


O senador Eduardo Suplicy (PT) também participou do evento e acompanhou a batalha de Eduardo Jorge no Parlamento pela aprovação do Projeto de Lei. “Fui pioneiro ao apresentar o projeto de renda mínima e esse exemplo de determinação com os genéricos me estimula a ir adiante nas propostas”, afirmou.

O senador Eduardo SuplicyO senador Eduardo Suplicy

 

Gonçalo Vecina, ex-presidente da Anvisa, chamou atenção para o patamar que o Brasil ocupa nessa área, já que o país produz medicamentos em totais condições de concorrer com o mercado externo. Já dr. Dirceu Raposo de Mello, atual presidente da Agência, parabenizou os autores da iniciativa e enfatizou os méritos brasileiros em criar centros de bioequivalência, por investir em pesquisa e por capacitar profissionais. “Nosso desafio agora é trabalhar na regulamentação de medicamentos biológicos e essa realidade está muito próxima, em no máximo cinco anos, poderemos entrar no cenário externo.”

 

Estatísticas sobre genéricos

• O segmento de genéricos responde por 18,2% do mercado farmacêutico;

• O setor movimentou U$ 2 bilhões de março de 2008 a março de 2009;

• Os consumidores brasileiros já economizaram cerca de R$ 10,9 bilhões em gastos na compra de medicamentos por causa dos genéricos;

• Atualmente, o setor de genéricos conta com mais de 2.700 registros e 300 substâncias;

• Apesar da crise, o ultimo trimestre de 2008 e o primeiro trimestre de 2009; apresentaram grande crescimento em relação aos anos anteriores;

• Até 2010, estão previstos R$ 354 milhões em investimentos pelo setor;

• Até 2011, pretende-se expandir a participação do mercado brasileiro para 33%.